Não procure a Dory para seu filho

Melhor deixar a Dory em paz

Desde que foi anunciado o retorno de Dory, Nemo e Marlin, no filme Procurando Dory, lançado nas últimas semanas, apareceram alguns alertas na mídia tradicional e nas redes sociais alertando para o problema que a comercialização do peixinho da espécie da Dory (o tangle-fish, Tang Azul ou Cirurgião-paleta). A grande preocupação dos grupos que estão se manifestando se deve a vários motivos.

Preocupações – Tang Azul
  1. Esse peixe não se reproduz em cativeiro. Se você for comprar um, quer dizer que ele foi retirado do mar para viver em um aquário. (Lembra como o Nemo e os amigos dele ficavam desesperados para fugir do aquário, no filme Procurando Nemo? Pois é.)
  2. Todos os anos, cerca de um milhão de peixes-palhaço são capturados da natureza para comercialização. Depois do primeiro filme, o comércio aumentou em cerca de 40%. E isso que esse peixinho consegue se reproduzir em cativeiro. Os dados sobre o peixe Dory são mais alarmantes em função da limitação da reprodução. A última estatística é de cerca de 400 mil peixes capturados por ano. Antes de ter o filme.
  3. O comércio intenso pode causar um desequilíbrio ecológico e até a extinção desse tipo de peixe. O IBAMA limita a importação destes peixes, e para comercializar a loja deve ter o certificado correspondente. Nem todas têm. Veja aquii toda a regulação do IBAMA e veja quantas limitações existem para importação e comercialização de peixes ornamentais.
  1. A coisa é tão preocupante que foi criada uma petição antes do lançamento do filme pedindo à Disney que eles colocassem um aviso antes do filme começar, alertando para os perigos. A empresa não se posicionou.
  1. Um peixe como o Tang Azul pode ser encontrado por mais de R$ 450, chegando até a R$ 800. Mas montar um aquário marinho (de água salgada) custa bem caro. O próprio aquário parte de R$ 800, sem contar os filtros, a montagem do ambiente. Pode apostar em um gasto mínimo de R$ 1300, sem contar os peixes que você quiser colocar ali.
  2. Criar peixe de água salgada é algo bem complexo. Aquários de água salgada são muito sensíveis e exigem uma série de cuidados para manter um equilíbrio perfeito e evitar que os peixes morram.

Para comparar, um peixe beta, que é mais fácil de ser cuidado e pode ser uma boa opção de pet, custa por volta de R$ 20. O beta é um peixe de água doce, e os cuidados são bem mais simples. E ele se reproduz em aquário.

Bichos de estimação no cinema

Normalmente, quando filmes de bichos são lançados, acontece uma explosão na procura das espécies que aparecem no filme. No legítimo desejo de deixar as crianças felizes, às vezes alguns aspectos muito importantes podem acabar em segundo plano. A família acaba ficando com um problema pra resolver. Um problema que poderia ter sido evitado se o assunto tivesse passado por uma reflexão da família.

Alguns exemplos:

  • No lançamento do filme Tartarugas Ninja na década de 90, uma região da Inglaterra foi “inundada” com tartarugas abandonadas. Muitos dos entusiasmados que compraram uma como bicho de estimação, assustados com seu crescimento (elas chegam ao tamanho de um prato) e seu comportamento agressivo, acabaram soltando nos lagos locais. Acontece que a espécie é predadora de filhotes de pássaros e outros animais, e isso causou um desequilíbrio na região. Quinze anos depois, as autoridades já haviam gasto milhões de dólares consertando o estrago. (Veja a história completa, em inglês).
  • Cerca de nove meses após o lançamento do filme 101 Dálmatas (1996), na cidade de Las Vegas foram aparecendo muitos cachorros da espécie, abandonados por gente que se entusiasmou com o filme (esta reportagem – em inglês – de 1997 fala em 130 animais em um ano!). Os órgãos públicos trabalharam para recolher os bichos. Alguns foram adotados por novas famílias, mas muitos foram sacrificados ou morreram doentes. Esta espécie é agitada, “trapalhona” e precisa de espaço. Muitas famílias não se adaptam a essas características.
Mas o meu filho quer uma Dory! Como eu faço pra sair dessa?

Caso seu filho insista em comprar um peixinho Dory, aqui estão algumas sugestões de saídas:

– Explicar que estes peixes são retirados da casa deles para estar presos no aquário para que possamos vê-los, e que eles também sofrem.

– Explicar sobre o alto custo e a complexidade de criar um peixe desses, pois são muito sensíveis a mudanças pequenas.

– Conversar sobre preservação das espécies e liberdade dos animais.

– Se vocês já estiverem pensando em um pet, começar um processo, do qual ele participe (até o nível que você achar adequado), para descobrir o melhor bichinho para sua família.

– Conversar sobre a responsabilidade de criar um animal, uma vez que trata-se de uma vida que merece respeito e dedicação.

– Adotar um bichinho de estimação é uma excelente alternativa. Adotar pode salvar a vida daquele que será um amigo fiel!

Ter um bichinho de estimação é um grande passo, e por isso deve acontecer quando a família está pronta e avaliou tudo o que foi preciso pra tomar a melhor decisão!

 

Veja também:

Filme incrível: Procurando Dory

(30 Posts)

One thought on “Não procure a Dory para seu filho

Deixe seu comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *