Comprando lanche na escola

Photo credit: USDAgov via Visual hunt / CC BY

Se sua filha ou filho tem por volta dos sete anos, deve ter começado a comprar lanche escolar na cantina.

Por um lado esse momento é uma conquista das crianças, que ganham mais autonomia e começam a ter responsabilidades – como escolher o que vão comer e como cuidar do dinheiro. Por outro, é também motivo de dúvidas para os pais.

Além de ficar mais caro, a qualidade da alimentação fica prejudicada e a gente pensa que começa a perder o controle sobre o que eles comem. Na verdade esse controle já não existe há um tempo, pois as crianças trocam lanches entre si, por exemplo. Mas o fato é que o cardápio das cantinas preocupa, pois não são tão saudáveis quanto o lanche de casa. O que fazer?

Algumas escolas são mais orientadoras nessa fase, acompanham as crianças na cantina e instruem os pais. Outras, não. Se você está em dúvida sobre como proceder, veja aqui algumas dicas:

 

Como começar a comprar o lanche escolar:

  1. A criança está começando a lidar com o dinheiro e a comer fora de casa, é muita novidade junta. Estabeleça no começo apenas um dia da semana para ela testar esse novo modelo. Aos poucos, à medida que sentir que ela tem autonomia e de acordo com as suas possibilidades financeiras, amplie a frequência, se achar necessário. Converse com a criança e explique a sua decisão;

 

  1. A primeira reação da criança é querer comprar tudo aquilo que antes ela não podia ou tinha que pedir para os pais. Não adianta negar, sua filha ou filho vai ser tentado pelas guloseimas. O melhor nesses casos é conhecer o cardápio da cantina e conversar com eles. Saiba o que tem lá que eles gostam mas que você não aprova. Você pode pedir para seu filho fazer uma lista das coisas da cantina que ele gosta, incluindo os valores. Juntos vocês podem chegar a um acordo, um meio termo que atenda às necessidades nutricionais mas que também não ignore que ele irá comer, no fim das contas, o que ele tiver vontade;

 

  1. Dê sempre dinheiro trocado e no valor suficiente para cada refeição. Peça informação à escola ou veja com o seu filho(a) quanto custa o ‘combo” básico: sanduíche, bebida, complemento. Procure sempre dar o dinheiro em notas, próximo ao valor total. Além de ser responsabilidade demais fazer a criança andar com notas altas, eles ainda não entendem completamente o valor do dinheiro e podem se atrapalhar na hora do troco, perder o dinheiro ou até querer pagar para os amigos, por exemplo;

 

  1. Converse com sua filha ou filho. Pergunte o que ele comprou, se achou que a qualidade estava boa, se tinha variedade…Mostre que a comida de casa tem mais valor, é mais saborosa e nutritiva, mas que tudo bem comer às vezes comida da rua;

 

  1. Se você dá mesada, não misture esse dinheiro com o do lanche escolar, eles podem acabar sacrificando o lanche para juntar e comprar uma coisa de maior valor. Veja aqui essa e outras dicas relacionadas à mesada das crianças.

 

Passado o encantamento pela cantina, você verá que algumas crianças até preferem a comida de casa, mesmo. E sua filha ou seu filho, compra lanche na escola? Leva de casa? Como foi esse começo? Conta pra gente!

 

Veja também: Açúcar ou Gordura?

(40 Posts)

Deixe seu comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *