Ser mãe cansa!

maternidade real
Photo credit: Apocalypse Center via VisualHunt / CC BY-NC-ND

Recentemente o Facebook me trouxe uma das suas “recordações”. Era um post antigo. Eu dizia: “Voltando de férias. Agora sim, vou poder descansar”. As fotos de família margarina eternizam os momentos doces, mas muitas vezes exaustivos. Se um fim de semana pode ser uma batalha, as férias têm gosto de maratona. Quem me conhece já me ouviu falar em algum momento: “deprê” de domingo é para os fracos.

Sabe aquele sentimento clássico que invade a gente no cair do dia de domingo? Aquele gosto amargo de fim de festa. Aquele dejà vu semanal. Você sente isso aos domingos? Se ainda sente, provavelmente não tem filhos.

A maternidade é uma virada em muitos sentidos. Para mim, nem a clássica deprê de domingo escapou.

Depois que virei mãe, a noite de domingo é um alento. É quando tudo parece começar a voltar ao seu lugar. E então você se dá conta de que pensa coisas como: ufa, amanhã é segunda-feira! Finalmente um dia de descanso! Por mais incoerente que pareça, trabalhar fora é muito, muito menos exaustivo que passar o dia em casa com as crianças.

Quantas vezes não cheguei ao trabalho e-xa-us-ta numa segunda de manhã!

Eu brinco dizendo que vou ao trabalho para descansar. Claro, no trabalho não pulam no meu colo ou pedem insistentemente a mesma coisa quinze vezes seguidas. No trabalho não gritam de alegria ou berram de irritação. No meu trabalho ninguém sai correndo em disparada pra eu sair na sequencia tentando apanhá-los. No trabalho as pessoas não reclamam que eu dou mais atenção para este ou aquele coleguinha, que eu amo mais um do que outro. No trabalho eu não preciso me preocupar se todo mundo comeu, foi ao banheiro, escovou os dentes…Também não preciso apartar as discussões, dar veredictos de quem está certo ou errado…aff, como cansa!

 

A maternidade real – ser mãe cansa

E parece que eu não estou sozinha: nos EUA, segundo estudo da PEW Research, as mães estão muito cansadas.

Isso se deve, em grande parte, ao desequilíbrio nas funções materna e paterna. A mulher ainda arca com uma rotina em que duplica jornadas – a do trabalho e a de casa. E isso é muito comum: num estudo brasileiro recente, 63% das mães admitiram que a vida é “difícil e exaustiva”.

Mesmo quem tem um lar mais equilibrado nesse sentido sente o peso. E por que é tão cansativo assim? Bom, vamos combinar que cuidar de crianças dá muito trabalho – principalmente as pequenas.

Esse artigo em inglês diz que as mães de toddlers – as fofíssimas crianças entre 2 e 6 anos – são as mais deprimidas. Mais até que mães de adolescentes! É extremamente desgastante correr atrás da próxima queda, da próxima birra, do nariz que escorre…e por ai vai.

Mas não só só as relações machistas que nos cansam. Nem somente as travessuras infantis. O mundo também cansa as mães. No mesmo estudo brasileiro, 70% das mães entrevistadas declararam se sentir julgadas ou cobradas no exercício da maternidade.

Basta uma mãe sair na rua com seu filho que tem patrulha pra tudo: se a mãe tá de sling, se tá de carrinho, se amamenta, se dá mamadeira, se a criança usa chupeta, se chupa o dedo, se a criança faz birra, se não quer falar com os adultos…Eu amamentei meus dois filhos. Algumas pessoas me achavam doida porque não dava água para eles antes dos seis meses de idade. Ainda que eu dissesse que seguia uma recomendação médica.

Enfim, ser mãe dá trabalho. Educar dá trabalho. Se você está exausta como eu, como todo mundo, parabéns. Parece que você está fazendo alguma coisa certa. Está fazendo a sua parte de mãe. Mas…talvez não precisasse ser tão duro assim. Talvez o resto do mundo pudesse nos dar um refresco de vez em quando, né?

 

 

(40 Posts)

Deixe seu comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *